História e Tradição

O Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó tem um aspecto raro na cidade de São Paulo. Encravado na Freguesia do Ó, um dos bairros mais antigos da Metrópole, ele lembra uma praça de cidadezinha do interior, com casas ao redor da igreja e calçamento de paralelepípedo. O lugar é assim porque algumas dessas casas, construídas no início do século, e a igreja, inaugurada em 1901, são tombadas pelo Patrimônio Histórico.

História - Ciccarino Restaurante e Pizzaria

Além disso, fica num ponto alto do bairro, num local de pouco movimento de carros. Durante o dia, o clima é sempre de tranqüilidade. À noite, o Largo da Matriz se transforma. Nessas casas antigas funcionam charmosos bares noturnos que atraem gente da cidade toda. O aspecto interiorano ajuda muito. Na mesma praça só que do outro lado, onde as construções são mais recentes, está um restaurante com mais de 40 anos de existência, sempre sob o comando de uma mesma família, os Ciccarino. O restaurante leva o nome da família. Começou como um barzinho de servir salgados, cachorro-quente e café aos empregados da fábrica da vizinhança - que, quase todas, se mudaram de lá - e acabou se transformando num restaurante e pizzaria de cardápio variado. No almoço recebe clientes de várias partes da cidade, atraídos pela boa comida e também peloHistória - Ciccarino Restaurante e Pizzaria visual e sossego da praça. "Quem vem aqui quer dar uma pausa no ritmo acelerado da cidade, fazer do almoço um momento de prazer e de relaxamento", diz Ana, filha dos fundadores do restaurante, que se mantém fiel ao sistema à la carte.

A história da casa começa em 1954, quando Carmelo Ciccarino e sua esposa, Dona Anella, imigrantes de uma Itália destruída na Segunda Guerra Mundial, compraram, com as economias de sete anos de trabalho no Brasil, um salãozinho recém-construído ali no largo, onde montaram um pequeno bar. Quem conta é dona Anella, que, assim como o marido, trabalhou no restaurante até poucos anos atrás. "Aqui na frente era o ponto final dos ônibus que iam para o centro da cidade , vivia cheio de gente. Atendíamos tanto os moradores do bairro quanto os empregados das fábricas. Naquele tempo quase ninguém almoçava fora, as pessoas comiam no serviço. Mas tinham uma pausa de quinze minutos à tarde, das 3h às 3h15, e nesse horário o barzinho ficava lotado". Durante 32 anos a família morou no lugar que hoje é o depósito do restaurante, o porão do salãozinho onde tudo começou, que dá frente para uma outra rua.A casa era pequena para o casal e suas duas filhas, mas eles preferiram investir na ampliação do negócio, comprando um terreno vizinho e construindo outro prédio. Sobre o primeiro imóvel, o do barzinho, e o novo salão, ergueram mais dois andares, cada um com um apartamento. Toda a família mora neles, com exceção do neto Fábio Ciccarino Borges, que ao se casar mudou para um prédio duas ruas abaixo do Largo da Matriz. De barzinho a restaurante, a casa passou por um período como lanchonete, a partir de 1972. Antes, já servia algumas refeições(em geral, o próprio almoço da família), mas só para os amigos. "Eles pediam, nós atendíamos. Mas era uma coisa informal. História - Ciccarino Restaurante e PizzariaNão imaginávamos que um dia viraria restaurante", conta Dona Anella. A transformação em lanchonete foi ocorrendo naturalmente. Para aumentar as opções de salgados, Dona Anella teve a idéia, inovadora na época, de servir pizzas aos pedaços, o que mais tarde se tornaria comum em bares e padarias da cidade. Até então, os paulistanos praticamente só comiam pizza no jantar, em família, mas os Ciccarino viram bem a oportinidade de fazer dos pedaços de pizza um diferencial do bar. Deu tão certo que em pouco tempo a casa passou a fazer sucesso também entre a juventude do bairro, para a qual criou outros tipos de lanche, como sanduíches, mas sem deixar de servir o almoço dos amigos que trabalhavam na vizinhança. E tudo ia bem até que o Largo da Matriz na Freguesia do Ó foi descoberto por um público que desagradou o casal, como conta Dona Anella: "A praça virou um ponto de encontro de hippies. Eles viviam aqui, de dia, de noite, faziam muita bagunça, não queriam nunca ir embora. Eu e o Carmelo não gostávamos nada daquilo - ficávamos muito preocupados com as meninas", ela diz, referindo-se às filhas então adolescentes.

História - Ciccarino Restaurante e Pizzaria

Pois a solução, para se livrar dos hippies e manter a clientela que adorava as pizzas em pedaços, foi transformar a casa em uma pizzaria tradicional, destinada as famílias. Depois de três décadas com a rotina de acordar de madrugada para abrir o bar e dormir tarde da noite, a mudança representaria também uma diminuição no ritmo de trabalho, já que a pizzaria só funcionava à noite. Mas o descanso, se é que se pode chamar assim, durou pouco. Dona Anella conta com orgulho: "Assim que paramos de abrir de dia, os amigos que vinham almoçar aqui ficaram bravos: 'A gente vai almoçar onde?', eles reclamaram. E insistiram tanto que acabamos criando um cardápio para almoço, com carnes, feijoada, massas. Aí virou restaurante dia e noite."

Largo da Matriz, 139 - Freguesia do Ó - São Paulo - SP - Tel.: 11 3931-6786 / 3931-8853